thomas sabo charms botanical slimming oakley sunglasses beats by dre headphones mbt billig nike air jordan abercrombie italia burberry uomo oakley australia oakley sunglasses outlet

O VERDADEIRO SIGNIFICADO DAS DATAS CÍVICAS

Sem querer entrar em considerações históricas, já suposta e sobejamente explicadas nos bancos escolares, vejamos qual o significado que elas devem ter para o povo.

É por demais sentida a ausência (ou diminuição) do ensino de civismo nas escolas primárias e secundárias, da maneira como havia antigamente: Moral e Cívica, depois substituída por Estudos dos Problemas Brasileiros. Cantavam-se os hinos a cada data histórica e trabalhos diversos eram executados pelos alunos, que eram orientados pelos professores das respectivas disciplinas. Explicações para o abandono de tais práticas existem várias, mas justificativas convincentes, nenhuma.

Então como podemos querer que o povo tenha, pelo menos, a noção do verdadeiro sentido das comemorações? O máximo que se consegue, é a satisfação por mais um feriado, isto é, um descanso adicional sempre bem-vindo. Principalmente quando cai numa 3ª ou numa 5ª feira, fazendo com que o fim-de-semana seja prolongado, devido ao inevitável “enforcamento” da 2ª ou da 6ª feira, por parte daqueles que podem fazê-lo - há até mesmo a institucionalização do ponto facultativo, em alguns setores do serviço público, o que facilita o ócio descompromissado de envolvimentos cívicos.

Os desfiles militares e escolares, dão chance a que haja um certo resgate desse sentimento cívico, mas é muito pouco, diante do que poderia (e deveria) ser feito.

Então, como deveria ser esse resgate? De maneira global e continuada, pois a formação de mentalidades não é trabalho para uma ou duas gerações somente.

Nem convém apelar para os exemplos demonstrados por outros países, porque cada um deles tem uma característica diferente, mas todos nós concordamos que o sentimento de patriotismo existe, e deveríamos seguí-los.

Quando o nosso País disputa uma competição internacional globalizada, de alto nível, como é o caso da Copa do Mundo de Futebol e as Olimpíadas, aí o “patriotismo” (assim mesmo, entre aspas...) aflora, e o povão fica mais ligado no ufanismo, mas de cunho meramente esportivo. Enrolam-se na bandeira nacional, pintam o corpo com as cores verde-amarelo, usam modelitos altamente criativos, etc., enfim, damos vazão àquele patriotismo refreado durante todo o ano.

Deveríamos assistir essa explosão de ufanismo, nas datas alusivas aos grandes feitos, mesmo que hoje não se tenha uma exata noção de sua importância, justamente porque não se faz um trabalho didático efetivo, voltado para as crianças e, por que não dizer, para os adultos também, nem que seja com o intuito de relembrar as lições aprendidas no passado.

Eis as principais datas a serem comemoradas:

21 de Abril: Por que reverenciamos a memória de Joaquim José da Silva Xavier – o Tiradentes - Patrono da Pátria e da Odontologia? O Alferes - patente de oficial abaixo de Tenente, hoje considerado 2º Tenente, segundo Mestre Houaiss – teve destacadíssima atuação no episódio da Inconfidência Mineira, ponto de partida para a Proclamação da Independência;

7 de Setembro: Data em que foi proclamado por D. Pedro 1º, em 1822, nas margens do Riacho Ipiranga (São Paulo), o desligamento do nosso País do jugo da coroa portuguesa, isto é, a nossa Independência, dando-nos as condições iniciais para que pudéssemos progredir, administrando os nossos próprios recursos. A letra do Hino da Independência, é de autoria de Evaristo Ferreira da Veiga, e a música, do próprio D. Pedro 1º ;

15 de Novembro: Proclamação da República, quando houve, em 1889, a tomada do poder por parte dos republicanos, representados pelo Marechal Deodoro da Fonseca, e a conseqüente partida da família imperial para o exílio, na Europa. Seu belo hino teve a letra concebida por Medeiros de Albuquerque, e a música, pelo Maestro Leopoldo Miguez ;

19 de novembro: A nossa Bandeira foi apresentada 4 dias depois da Proclamação da República e deve ser reverenciada como merece, bem como o seu belo hino, cuja letra é de autoria do grande poeta Olavo Bilac e música do não menos importante Maestro Francisco Braga;

O Hino Nacional Brasileiro foi criado, a partir do poema de Joaquim Osório Duque Estrada e a música do Maestro Francisco Manoel da Silva. Até há algum tempo, havia uma tentativa de mudança do hino, por ser considerado “difícil e longo demais”... Felizmente, prevaleceu o bom senso e a forma original foi mantida – ainda bem...

Enfim, esses são apenas alguns exemplos da nossa História, que pode e deve ser estudada, até porque, temos hoje, um manancial inesgotável de informações conseguidas através de pesquisas na internet.

O que precisamos, mais do que nunca, é motivar os jovens a estudar a nossa história política, numa tentativa de melhorar o nível de compreensão dos problemas conjunturais que nos afligem hoje. As origens, certamente, estão no passado, e devem servir de parâmetro para as iniciativas válidas, no sentido de buscar o desenvolvimento atual e futuro do nosso imenso, querido e riquíssimo país.

Cremos piamente que muitas das atitudes erradas, covardes e antipatrióticas tomadas pela maioria dos governantes, através dos séculos, precisam ser substituídas por:

- ações efetivas de combate à sonegação fiscal, em todos os níveis ;
- coibição real do desvio das verbas públicas em proveito próprio, tornando inelegíveis para sempre, prendendo seus inescrupulosos autores, condenando-os a muitos anos de prisão, além de confisco dos bens, adquiridos durante a gestão que lhes deu a oportunidade da fraude;
- eliminação do uso e abuso das prerrogativas conseguidas pelo voto popular – uma conquista que nos custou uma “eternidade”, e que ainda não aprendemos a administrar.


Enfim, a lista é imensa, não cabendo neste espaço. São apenas exemplos do que precisa ser feito para acabar de vez com a malfadada impunidade, que serve de incentivo para mais crimes.

A intenção é levar o leitor à reflexão, numa tentativa de despertá-lo para o verdadeiro significado das citadas datas, além, claro, daquelas de âmbito regional, igualmente merecedoras de homenagens por parte das comunidades, incentivadas por iniciativas reais de participação de cada cidadão nas comemorações, que devem ser amplas e didaticamente divulgadas pela mídia, oficial ou não.

Sejamos patriotas na acepção da palavra, em tempo integral!
O futuro nos sorri!
Ordem e Progresso não são meras palavras, sem significado real, e sim, o parâmetro que devemos seguir para um porvir radioso e feliz!

Façamos do nosso querido BRASIL, o coração do mundo, com a bênção de Deus!

Matéria transcrita na íntegra, conforme publicação de 06/07/2004 no site www.informenews.com, assinada por RUBENS BARROS DE AZEVEDO, que é o Responsável pelas Publicações do IN (Informenews) - Saúde & Vida Natural

Rubens Barros de Azevedo - www.informenews.com - 6/8/2007

Nome
Email
Fundo de Tela:
Escolha sua configuração e baixe o seu:
Desenvolvimento: Aion Inform¨¢tica